Baltashow Notícias

Após se cadastrarem no Auxílio Emergencial, 28 foragidos da Justiça são presos no AM

Mais noticias

Após se cadastrarem no Auxílio Emergencial, 28 foragidos da Justiça são presos no AM

Mais de 300 pessoas com mandados de prisão em aberto que receberam o auxílio de maneira irregular foram constatadas pela CGU e encaminhadas para investigação.

Por Patrick Marques, G1 AM

29/06/2020 14h01  Atualizado há 5 minutos

Polícia Civil cumpriu 28 mandados de prisões em aberto de suspeito de cometerem crimes após se cadastrarem no Auxílio Emergencial. — Foto: Patrick Marques/G1 AM

Polícia Civil cumpriu 28 mandados de prisões em aberto de suspeito de cometerem crimes após se cadastrarem no Auxílio Emergencial. — Foto: Patrick Marques/G1 AM

 

Vinte e oito pessoas suspeitas de cometerem crimes e que estavam com mandados de prisão em aberto foram presas pela Polícia Civil após terem se cadastrado no Auxílio Emergencial no Amazonas. Conforme a Secretaria de Segurança nPública (SSP-AM), mais de 300 pessoas com mandados de prisão em aberto que receberam o auxílio de maneira irregular foram constatadas em levantamento.

De acordo com o secretário de Segurança Pública, coronel Louismar Bonates, a Controladoria Geral da União (CGU) enviou 559 nomes de pessoas suspeitas de terem recebido o auxílio emergencial indevidamente para a SSP-AM. Após a investigação, a Polícia Civil constatou que 321 foram comprovadas. Destes, 32 tinham mandados de prisão em aberto pelos crimes de homicídio e tráfico.

"Esse mandados já foram cumpridos. Foram 15 por homicídio e 13 por tráfico. Alguns tinham até mandados para os dois crimes. É um absurdo que essas pessoas envolvidas com o crime recebam esse auxílio do Governo. Eles não podem receber. Têm mandados de prisão em aberto e não poderiam ser cadastrados", disse o secretário.

A delegada-geral da Polícia Civil do Amazonas, Emília Ferraz, explicou que a PC começou a operação na última segunda-feira (22), para cumprir os mandados. Após as prisões, ela explicou que os nomes serão passados para a CGU, para que o ressarcimento do pagamento indevido seja devolvido. Ainda conforme a delegada, os cadastros de endereços para receberem os auxílios ajudou a polícia a localizar os suspeitos.

"Quem tinha direito à esse auxílio eram pessoas que, em tese, respondiam os requisitos que o Governo Federal solicitava. No momento em que eles se credencial de forma falsa, eles respondem pelo crime de estelionato. Alguns chegaram a receber até a segunda parcela", explicou a delegada.

Além de serem recolhidos para unidades prisionais do Amazonas, para cumprirem penas pelos crimes que já tinham mandados em aberto, os suspeitos também devem responder pelos crimes de falsidade ideológica e estelionato.

G1

ENVIE NOTÍCIAS PARA O EMAIL
centralbaltashow@gmail.com
whatsapp Baltashow 63.984688254
 
A imagem pode conter: Renato Baltashow Colinas, texto

Deixe seu comentário aqui:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião da Baltashow Notícias e são de total responsabilidade de seus autores.