Baltashow Notícias

Justiça determina prisão preventiva e médico Álvaro Ferreira vai continuar preso

Tocantins

Justiça determina prisão preventiva e médico Álvaro Ferreira vai continuar preso

Suspeito de matar professora estava em prisão temporária. Para Justiça, há indícios de autoria e o suspeito chegou a ameaçar a vítima de morte após ser preso por agressão.

Médico Álvaro Ferreira durante depoimento em Palmas (Foto: TV Anhanguera/Reprodução)

A Justiça decretou nesta sexta-feira (9) a prisão preventiva de Álvaro Ferreira, principal suspeito de matar a ex-companheira Danielle Christina Lustosa, em dezembro de 2017. O médico estava preso temporariamente na Casa de Prisão Provisória de Palmas, mas o prazo da prisão terminava nesta sexta-feira (9). Agora, vai continuar respondendo ao processo na prisão.

O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios de Palmas. Álvaro Ferreira foi ouvido duas vezes e chegou a pedir orações pela vítima. Uma ex-namorada dele também chegou a ser presa, mas ganhou liberdade e prestou depoimento três vezes.

Na decisão que prorroga a prisão por tempo indeterminado, o juiz Rodrigo da Silva Perez afirma que há indícios da autoria do crime e que o suspeito descumpriu medidas protetivas contra a vítima.

Além disso, após ser preso dois dias antes do crime por agredir a professora, o médico ameaçou a ex-mulher e anunciou aos demais internos "que caso fosse solto em audiência de custódia mataria a vítima".

O G1 aguarda posicionamento dos advogados de Álvaro Ferreira.

 

O caso

 

O corpo da professora foi encontrado no dia 18 de dezembro. O médico Álvaro Ferreira é o principal suspeito do crime porque havia sido preso dois dias antes, quando invadiu a casa e tentou esganar a ex-mulher. Mesmo assim, foi solto um dia depois, após audiência de custódia. O Ministério Público chegou a pedir a prisão preventiva dele, mas o pedido foi negado pelo juiz, que determinou a liberdade sem pagamento de fiança.

De acordo com o advogado de Danielle, Edson Monteiro de Oliveira Neto, o ex-marido já havia ameaçado matá-la outras vezes. O advogado informou que chamou a polícia após não conseguir contato com ela durante todo o dia. Áudios divulgados pelo advogado, mostram a mulher pedindo socorro após supostamente ter sido agredida.

O corpo de Danielle foi localizado de bruços na cama. O registro da ocorrência feito pela Polícia Civil aponta que foram encontrados hematomas no pescoço da professora e havia odor característico de urina no short que a vítima vestia. A perícia confirmou que ela foi estrangulada.

 
Médico foi localizado após postar foto em igreja (Foto: Arquivo Pessoal)Médico foi localizado após postar foto em igreja (Foto: Arquivo Pessoal)

Médico foi localizado após postar foto em igreja (Foto: Arquivo Pessoal)

 

A fuga

 

O médico ficou quase um mês foragido após o crime. Ele foi preso no dia 11 de janeiro em Goiás e levado para a Casa de Prisão Provisória de Palmas no dia seguinte. Ele foi localizado após postar uma selfie em uma igreja nas redes sociais. Enquanto esteve foragido, ele deu entrevistas por telefone e mandou mensagens para a mãe da vítima.

A polícia identificou que ele fugiu primeiro para Salvador, pegou um barco para Morro de São Paulo, viajou para Campinas (SP) e acabou em Goiás.

O médico foi preso enquanto estava no cinema de um shopping em Anápolis. A prisão foi realizada por uma equipe da Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), comandada pelo delegado Pedro Ivo Costa Miranda em parceira com as Polícias Civis de Goiás e São Paulo.

G1

ENVIE NOTÍCIAS PARA O EMAIL
redacao.baltashow@gmail.com
whatsapp Baltashow 63.84688254
 

Deixe seu comentário aqui:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião da Baltashow Notícias e são de total responsabilidade de seus autores.