Baltashow Notícias

MG recomenda cuidados com dengue, chikungunya e febre amarela na Copa América

Destaques

MG recomenda cuidados com dengue, chikungunya e febre amarela na Copa América

Alerta vale para turistas que virão assistir aos jogos e também para moradores; em 2019, estado já registrou 38 mortes e 247.602 casos prováveis de dengue.

 

Aedes aegypti é o mosquito transmissor da dengue, febre amarela, chikungunya e zika vírus  — Foto: Pixabay/DivulgaçãoAedes aegypti é o mosquito transmissor da dengue, febre amarela, chikungunya e zika vírus  — Foto: Pixabay/Divulgação

Aedes aegypti é o mosquito transmissor da dengue, febre amarela, chikungunya e zika vírus — Foto: Pixabay/Divulgação

Devido ao grande número de turistas previstos em Minas Gerais por causa da Copa América 2019, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) publicou em seu site, nesta terça-feira (14), algumas recomendações para a prevenção de doenças endêmicas do estado, como dengue, chikungunya e febre amarela.

Segundo o Comitê Organizador Local (COL), a expectativa é que venham torcedores de quase 100 países para o Brasil entre os dias 14 de junho e 7 de julho. Belo Horizonte sediará jogos importantes, tanto na fase classificatória, quando nas semifinais do torneio.

 
Mineirão — Foto: GloboNewsMineirão — Foto: GloboNews

Mineirão — Foto: GloboNews

Por conta desse fluxo de estrangeiros, a Secretaria pede precaução para a população em relação à saúde, uma vez que, além das doenças comuns no estado, ainda há o risco de enfermidades transmissíveis originadas de outros países. A SES alerta para casos como o sarampo, a rubéola, a difteria, a influenza e a catapora, que podem pôr em risco a saúde da população brasileira desprotegida.

Além disso, os turistas também devem ficar atentos com a transmissão de doenças transmitidas por picadas de mosquitos, como a dengue, a chikungunya e a febre amarela.

Apesar de não haver exigência de comprovação da situação vacinal de visitantes para entrar no Brasil, a secretaria destaca que a forma mais eficaz é a vacinação prévia, sendo pelo menos 15 dias antes da viagem.

 

Ainda é recomendado o uso de repelentes à base de icaridina e o consumo de água e alimentos de fontes seguras. Também deve haver cuidado às doenças de transmissão respiratória, como influenza, coqueluche e caxumba.

 

Dengue em Minas

 

O último boletim do SES, divulgado nesta segunda-feira (13), informou que 38 morreram de dengue em 2019. Já são 247.602 casos prováveis, um aumento de 38.326 registros em uma semana.

Os óbitos foram registrados em Betim (10), Uberlândia (8), Belo Horizonte (4), Contagem (2), Unaí (2), Arcos (1), Frutal (1), Ibirité (1), Paracatu (1), Curvelo (1), João Monlevade (1), Lagoa da Prata (1), Martinho Campos (1), Passos (1), São Gonçalo do Pará (1), Uberaba (1) e Vazante (1). Outros 92 casos estão sob investigação.

De acordo com o balanço divulgado no dia 7 de maio, Minas Gerais registrou 1.587 casos prováveis de chikungunya em 2019. Até o momento, não houve registro de óbitos suspeitos da doença.

A SES disse que um registro maior de casos é esperado para este período (meses quentes e chuvosos) devido à sazonalidade da doença. Dessa forma, o estado está em situação de alerta para esse aumento no número de casos das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti (dengue, chikungunya e zika).

G1

ENVIE NOTÍCIAS PARA O EMAIL
centralbaltashow@gmail.com
whatsapp Baltashow 63.984688254

Deixe seu comentário aqui:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião da Baltashow Notícias e são de total responsabilidade de seus autores.